Limeriques

Edward Lear

 

 Havia uma senhorita de trança
Ensinando aos patinhos uma dança
Ela dizia: tique-taque
Repondiam: quac-quac
entristecendo a senhorita de trança.


Havia um alegre velhinho no Japão
Que andando a cavalo caiu no chão
Partiu-se em dois
e o colaram depois
Esse escolado velhinho do Japão.

 

Outros limericks de Edward Lear

 

Havia uma senhorita de trança

Ensinando aos patinhos uma dança

Ela dizia: tique-taque

Repondiam: quac-quac

entristecendo a senhorita de trança.

 

 

 

Uma pobre menina de Bom Despacho

tinha os seus louros cabelos em cacho

Sobre árvores cacheavam

E pelo mar avançavam

Expansiva, essa mina de Bom Despacho.

 

 

 

 

Havia um velhinho em Quito

Que voou à cidade num mosquito

Disseram: se você tossir

É certo que vai cair

Seu velhinho abstêmio de Quito.

  

 

Havia um velhinho em Taipé

Que não podia ver seu pé

Disseram-lhe: é seu pé

Ele exclamou: ah, é?

Esse desconfiado velhinho de Taipe

 

 

 

Havia um moleque em São Gotardo

conhecido por ser mal educado

Tirava meleca do nariz

E grudava nos lambris

Horrível esse moleque de São Gotardo.

 

 

Havia um alegre velhinho no Japão

Que andando a cavalo caiu no chão

Partiu-se em dois

e o colaram depois

Esse escolado velhinho do Japão.