Contos

Arte da Guerra - Décimo-segundo capítulo

ZunZun Ci, um dos maiores estrategistas que o mundo conheceu, recria aqui sua Arte da Guerra, especialmente para jovens às portas da universidade, na guerra do vestibular. Daí a necessidade de cada um se preparar para o combate. O notável estrategista chinês fala: “Haverá comoções em casa e fora dela, e muito vestibulando cai exausto na beira do caminho. Para os jovens, diz: "Se marcar bobeira, vai se ferrar, meu galo!", e "você também vai se ferrar, minha águia!" Este é o décimo-segundo dos 13 capítulos de A Arte da Guerra.

12. SEMEANDO A CORCÓRDIA E A DISCÓRDIA




ZunZun Ci 12. 1.

ZunZun Ci diz : Contemplando o exércitos de vestibulandos em marcha para a prova dá o que pensar. Muitos ficam para trás, ou por falta de recursos ou porque não puderam se preparar. Cada dia de um vestibulando longe do lar significa gastos extraordinários.1 Haverá comoções em casa e fora dela, e muito vestibulando cai exausto na beira do caminho. Outros passam a vida entre a insônia e a vigília. E há os obrigados a seguir cursos exóticos em academias pagas dos reinos vizinhos. 2 Enquanto a batalha não se decide, as famílias e o país se vêm impedidos de utilizar esse tipo de mão-de-obra.

1 Mei Yao-ch`en diz: “Faltarão homens e mulheres para o cultivo da terra”. Ele faz alusão ao sistema de dividir a terra em nove partes, cada uma com 15 acres, sendo o terreno central cultivado coletivamente pelos nove agricultores para ser entregue ao Estado. Aqui também Tu Mu diz que as propriedades rurais são construídas, e um poço cavado para servir a todos. [Veja II. ss. 12, nota.]. Nos tempos difíceis, não está em jogo uma renda individual, mas a renda familiar, pois todos trabalham para se alimentar e se vestir. Alguém que deixa o sistema e diz que vai para a universidade causa distorções nesse trabalho coletivo, ainda mais que o resto da família deverá ajudar financeiramente a quem está se preparando o prestando vestibular.
2. Talvez ele esteja se referindo às faculdades de Cochabamba e Santa Cruz de la Sierra.

ZunZun Ci 12. 2.

Às vezes as guerras pela universidade duram anos e anos, apesar de um vestibulando ter a vitória em apenas dois ou três dias, tempo de duração das provas. E como vai se sustentar, até que chegue o tempo de uma nova tentativa? O que fazer para encurtar esse sofrimento?

2. ZunZun Ci é engenhoso ao introduzir a questão. Ele começa a falar na miséria que provoca uma guerra muito prolongada e sem uma idéia de quando poderá chegar a um bom termo. Um grande poeta chinês da Dinastia Tang, Bai Juyi,(772-846) escreveu um poema sobre um parente próximo que não conseguiu entrar na academia imperial. Outra face dessa realidade difícil é a ambição desmesurada e atos recrimináveis, como fraudes, que acontecem nos exames. E aqui ZunZun Ci fala claramente em táticas condenáveis, mas concluindo que não usar espiões é um crime contra a humanidade, pois prolonga os sacrifícios da guerra.
3. Essa idéia, de que o objetivo final de que entrar na universidade é importante, independente dos meios a serem utilizados, é algo próprio de aproveitadores. Mesmo em tempos mais recuados, como 597 A.C., nas palavras memoráveis pronunciadas pelo príncipe Chuang do reino de Ch`u : "Esses são, como sempre, cheios de trique-trique. A tudo justificam, a pretexto de que outros também agem da mesma maneira”.


ZunZun Ci 12. 3.

Então, o que leva um vestibulando a trilhar esse caminho é a ambição desmesurada de entrar na universidade por qualquer meio. E para conseguir isso, fazem o que não faz um vestibulando honesto: procuram saber antecipadamente o que vai cair nas provas.1


1. Ou seja, o que as comissões especiais preparam para o vestibular.


ZunZun Ci 12. 4.

As informações sobre os que vai cair nos exames não podem ser obtidas através de rezas ou penitência. Não chegam indutivamente da experiência, 1 nem através do cálculo dedutivo.2
O conhecimento do conteúdo das provas pode ser obtido apenas por outros meios.3


1. Tu Mu observa: "[o conteúdo exato das provas] não pode ser obtido através de uma análise dos vestibulares anteriores."
2. Li Ch`uan says: “Pode-se ter uma idéia geral quanto ao tipo das perguntas, temas, magnitude, quantidade de questões a partir dos vestibulares anteriores, mas nunca as perguntas exatas e, mais do que isso, as respostas corretas."
3. Mei Yao-ch`en tem uma nota interessante: "Saber o que vai cair não vem pela graça divina ou consulta a videntes ou adivinhos. Mas as perguntas exatas só podem ser conhecidas antes da prova com o uso de espias ou de conversas ao pé do ouvido onde soe correr muita patacas e dobrões. "

ZunZun Ci 12. 5.

Daí o uso de espiões 1, que podem ser de cinco tipos. 1) Espiões locais; 2) espiões internos; 3) espiões externos; 4) espiões domesticados; 5) espiões no sentido restrito.


ZunZun Ci 12. 6.


Cinco divisões, galhos de um mesmo tronco: O vestibulando que utiliza todos esses meios ou um só, com eficiência, pode ser considerado um grande malandro, contando que não seja preso. No conjunto, a expressão equivale à outra: “divino mexer de pauzinhos para que venha a nós o vosso reino”.


ZunZun Ci 12. 7.

Na classe de ESPIÕES LOCAIS recrutam-se os funcionários ou professores da própria universidade onde vai ocorrer o vestibular.1


1. Tu Mu diz: "Muitos funcionários que ganham uma merreca ou se sentem desprestigiados ou são rancorosos podem se tornar espiões, quando tratados de maneira pródiga e afável".


ZunZun Ci 12. 8.

Na classe de ESPIÕES INTERNOS recrutam-se membros da própria comissão do vestibular para coletar o conteúdo das provas com antecipação.1


1. Tu Mu descreve as pessoas que podem ser procuradas: "Pessoas de valor degradadas pela Reitoria; amantes desses professores ou funcionários, especialmente as que se vendem por dinheiro, funcionários em posições subordinadas – o que serve o cafezinho, por exemplo - funcionários impedidos de ascenderem na hierarquia profissional, os trabalhadores que não ganham vale-refeição, candidatos derrotados nas eleições internas, os vira-casacas e os encima dos muros. Funcionários ou professores assim descritos podem ser procurados de maneira discreta, com a proposta, por exemplo, de assumirem o cargo de senador da República, por ato secreto. A necessidade de extrema cautela, no entanto, aparece de incidente histórico relatado por Ho Shih: "Lo Shang, governador de Chou, enviou seu mais hábil vestibulando, Wei Po, junto com o Autor, para ingressarem em um centro de excelência dirigido pelo reitor Li Hsiung, de Shu, em P`i. Depois de ferrado em diversos vestibulares, Li Hsiung recorreu aos serviços de P`o-t`ai, um nativo de Wu tu. Pra início de conversa, inscreveu-o antecipadamente para o simulado e para o exame final de Lo Shang, a quem ele devia iludir, dizendo que ia apenas fazer o vestibular, mas que, na verdade, tinha intenção de enviar sinais de fumaça do alto das muralhas com as respostas corretas para Wei Po, em sua nova tentativa na Universidade de Shu. Lo Shang, confiante nestas promessas, deu a Wei Po caneta, lápis e borrachinha Zenith e o mandou se preparar para a prova. No dia e hora marcados, Wei Po olhou pela janela e viu os primeiros sinais de fumaça, cada um referindo-se a um item na grade de respostas. Terminou a prova, passou pela identificação biométrica, e foi embora. Alguns dias depois, frustrou-se duplamente na publicação da lista dos aprovados. Primeiro, porque ele não tinha passado. Segundo, porque não só as respostas enviadas pelos sinais de fumaça eram erradas, como foi obrigado a pagar um metro cúbico de lenha, que P`o-t`ai havia queimado para enviar esses mesmos sinais. Em outras palavras, o espião tinha virado a casaca. [Isso aconteceu 303 A.D. Nao sei onde Ho Shih conseguiu essa história. Pelo menos não está na biografia de Li Hsiung ou na de seu pai Li T`e, CHIN SHU, cap. 120, 121.

ZunZun Ci 12. 9.

Na classe de ESPIÕES RECONVERTIDOS estão os espiões descobertos pelos serviços de inteligência e obrigados a cooperar, criando confusão no campo inimigo.1


1.Você quer entrar na universidade e não consegue. Então espalha informações falsas, dizendo o resultado de algumas questões foram vendidos no mercado local. A polícia imperial acadêmica começa a investigar o que está acontecendo. Mediante uma série de estratagemas – dinheiro, principalmente – você o transforma um membro dessa mesma polícia em agente duplo. Logo inventa que alguns estudantes pretendem comprar o resultado das provas de um conselheiro da fundação que prepara o vestibular. Enquanto tentam descobrir esse imaginário consultor venal, você prepara um ponto eletrônico ou sistema high-tech de envio simulado de respostas através de raios bioverticais das lâmpadas fluorescentes. Claro, fez uso do policial para divulgar a falsa notícia da venda das questões.
2. Alguns comentaristas aceitam essa definição alternativa. Mas não é bem isso o que ZunZun Ci tem em mente. Até porque há 2500 anos não existiam ainda lâmpadas fluorescentes.


ZunZun Ci 12. 10.


Na classe de ESPIÕES DOMESTICADOS, criamos acontecimentos com o propósito de iludir nossos próprios espiões, levando-os a confessar ao inimigo coisas falsas que nos interessam.1


1. Tu Yu explica o significado dessa frase: "Ostensivamente trabalhamos para iludir nossos próprios espiões, que devem ser levados a acreditar que foram denunciados inadvertidamente. Assim, quando eles forem capturados, vão contar o que acreditam ser verdadeiro, mas que na verdade é algo plantado para desorganizar o sistema de inteligência do inimigo. Os espiões serão certamente condenados à morte, mas o que fazer, pior para eles.” T`ang Chien, foi enviado em 630 A.D. por T`ai Tsung para conseguir informações de vestibular junto ao campus avançado do Kahn Chieh-li disfarçado de garçom. Tempos depois, o próprio T`ai Tsung espalhou que esse garçom, T`ang Chien, era espião e que sabia na ponta da língua as questões orais do exame imperial. T`ang Chien teve a ponta da língua cortada, cozinhado vivo e servido como sopa em um grande banquete. A grade das perguntas foi levada então à Câmara Imperial do Enorme Segredo, sob responsabilidade de Xun Zhao. Ora, Xun Zhao era o segundo espião de T`ai Tsung, que repassou perguntas e respostas ao filho de T`ang Chien, vestibulando, que tirou primeiro lugar. Mais tarde Xun Zhao tornou-se um grande jurista e poeta, tendo composto a notável Balada do Caldeirão de T`ang Chien e da Fumaça Ligeira.


ZunZun Ci 12. 11.

Na classe dos ESPIÕES NO SENTIDO RESTRITO estão aqueles que conseguem informações no campo inimigo, aliás, o que todo espião deve fazer, sob pena de deixar de ser espião.1


1. Trata-se da classe comum de espiões, às vezes em empresas especializadas, funcionando como microempresas e tributadas pelo simples. Nos últimos tempos, multiplicaram-se enormemente, apoiadas nas novas tecnologias, como pombos-correios e sinais de fumaça. Assim mesmo, muitos ainda fracassam. Tu Mu conta: "o consultor de uma fundação responsável pelos exames imperiais em Hefei e outros oito professores foram presos no leste do reino por terem ajudado a fraudar os exames, espiando as provas e vendendo seus resultados. O esquema envolvia estudantes que se inscreviam para fazer o exame e que depois vendiam os resultados para os reprovados, trocando a identidade do candidato no período entre a prova e a publicação dos resultados. Zhang Hongxue, diretor da Academia Chengzhuang, perdeu seu posto e expulso do partido. Xu Yunfeng e Zhao Guilian, do departamento de inscrições, foram julgados por suborno e levados para o histórico caldeirão onde, há séculos, T`ang Chien foi cozido. Geralmente a história registra apenas os espiões pegos, porque os que obtém êxito e nunca são descobertos, espalham-se pelo reino, ocupando altos cargos.



ZunZun Ci 12. 12.

Assim, vestibulandos malandros e bandidos têm de se fiar muito em espiões, sejam eles pouco aparelhados ou hig tech –pombos-correios etc.1Eles recebem geralmente uma grana preta pelos serviços prestados. Em nenhuma outra fase do vestibular o segredo deve ser tão preservado.2
Ao escolher seus espiões, faça uso de sua sagacidade intuitiva.3
Suas ações devem contar com certa benevolência e honestidade.4
E sem uma sutil ingenuidade de espírito, não se pode ter certeza do que ele fornece, se verdade ou não.5


1. Tu Mu e Mei Yao-ch`en concordam em um fato: “a importância dos espiões é tão grande que eles chegam a ser recebido pela família do vestibulando interessado, ou então em cafés e hotéis da redondeza”.

2. Tu Mu dá uma imagem do que eles podem fornecer: as informações dos espiões são variadas. 1) “em bandos, esses espiões podem ser contratados para fazer provas específicas. Saem da sala no menor tempo possível e entregam as respostas, do lado de fora, a um dos integrantes do bando. Em seguida o gabarito é repassado aos interessados que já estão fazendo o vestibular através de pontos eletrônicos. Eles usam também pagers, celulares e até microrrádios colocados atrás da orelha”.

3. Mei Yao-ch`en explica que tipo de fraudes esses espiões organizados em quadrilhas são capazes: “antes dos exames: falsificação de dados ou de outro tipo de material das provas; obtenção de conhecimentos não autorizados do conteúdo de uma prova; não registro, durante a prova, da citação correta ou da fonte de referência”.

4. Song Bi lembra que essas quadrilhas fornecem cursinhos práticos para conseguir aprovação, constando do programa: a) como falsificar dados ou qualquer tipo de material de exame; como receber ajuda durante as provas; como ajudar outros candidatos durante os exames; como utilizar os trabalhos de outras pessoas como se fossem seus.

5. Turenne faz uma observação importante sobre o uso de dados utilizados clandestinamente: “para usar essas informações, o vestibulando bandido tem de conhecer a diferença entre fatos e falsificação dos fatos, e ter capacidade de saber a diferença entre honestidade e sacanagem”.

6. Tu Mu refere-se ao contrato de espiões nos seguintes termos: “antes de contratar as firmas especializadas em burlar vestibulares, devemos nos assegurar de que elas sejam íntegras e honestas e também sopesar o quanto elas têm como experiência e conhecimento do mercado.”


ZunZun Ci 12. 13.

Seja sutil. Muito sutil. E use seus espiões em qualquer tipo de operação.1


1. Cf. VI. ss. 9.


ZunZun Ci 12. 14.

Se as quadrilhas que burlam o vestibular divulgam os resultados antes do tempo e para muitas pessoas, as suspeitas levarão à anulação das provas.1


1. Palavra por palavra, a tradução é: “Se as informações do espião são conhecidas antes da hora [em que vamos fazer a prova]. Sun Tzu alerta sobre essa passagem: “trucide o espião você mesmo!”. Ch`en Hao é claro: “fazer com que ele [o espião] não dê com a lingua nos dentes”.

ZunZun Ci 12. 15.

Se o objetivo é mesmo passar no vestibular por meios inconvenientes, devido à perspectiva atrapalhada1 do que seja o êxito, algumas medidas devem ser tomadas: conhecer os nomes e endereços dos fiscais; saber quais são os componentes da comissão que prepara as provas ; conhecer o nome da secretária do diretor da faculdade ; conhecer os porteiros. E finalmente, nossos espiões devem ser bem pagos para fazer esse levantamento.


1. Literalmente, "ponto de vista da bandidagem”.


ZunZun Ci 12. 16.

Se o a polícia intervir tentar subornar os policiais, com promessas de riqueza.


ZunZun Ci 12. 17.

Os espiões, transformados em agentes duplos, podem ser usados em serviços confidenciais, como por exemplo, quais são os vestibulandos que estão bem preparados, onde se hospedam. Em último caso, podem colocar substâncias no café da manhã dos candidatos mais bem preparados , para que desmaiem, adormeçam ou fiquem zonzos, não comparecendo aos exames. 1


1.Tu Mu conta um fato interessante, acontecido no Ai Qi le, uma província do Noroeste, banhada pelo Yangze, em que a fraude teve muitos compostos de medicina tradicional. Os candidatos foram sedados mastigando erva ou tomando suco no desjejum, nas estalagens onde tinham se hospedado. Os espiões – garotas disfarçadas de vestibulandos e de promotoras dos sucos - injetaram soníferos nas ervas e nos rebuçados. O cérebro da quadrilha foi identificado e confirmou que os candidatos escolhidos a dedo em todas as estalagens da cidade ficaram muito tontos e foram dormir, perdendo a prova.


ZunZun Ci 12. 18.


Novas técnicas, como trocas de mensagens por sinal de fumaça ou pombos-correios, revolucionaram o trabalho dos espiões, favorecendo a criminalidade.1


1. Tu Yu conta: o grupo tinha Song Fu como líder e ocupava o alto de uma colina, enviando sinais de fumaça na hora do vestibular. Os criminosos que faziam as provas pediam licença para ir ao banheiro e “liam” as mensagens pela janela norte da instituição, voltando para o salão de provas para terminar seus exames, sendo, posteriormente, bem avaliado.. Isso aconteceu até que um dos vestibulandos foi pego à janela da sentina, anotando no papel as mensagens que lhe eram enviadas por Song Fu e seu bando.
2. No alto de uma pagoda de Da li, no sudoeste, utilizado como local de provas, os candidatos imperiais foram surpreendidos no meio da prova com um homem-aranha grudado numa das janelas, jogando bolinhas de papel para um dos candidatos. Ele havia escalado a pagoda, utilizando suas habilidades de homem-aranha. Mas foi aprisionado pelas forças imperiais, por um simples descuido: não foi discreto o suficiente, com aquela roupagem exótica.