Limeriques

+ 40 limeriks escronchos

 

Uma pobre mulher de Bueno Brandão,

Quis  coçar o pé e  perdeu a mão

Procurou, procurou

Numa mais encontrou

a mão, essa mulher de Bueno Brandão.

 

 

 

Ana Rosa

Havia uma menina em Ana Rosa
Ana, o nome, rosa em botão, e prosa,
Que na estação Ana Rosa
Vendia rosa cor-de-rosa
Intrigando Anas e Rosas em Ana Rosa.


Brás

Um pato branco de Campo Grande
Botou ovo na divisa de Minas e Goiás:
De que Estado, me diga você,
é o patinho que vai nascer?
(Ajudem esse pato confuso do Brás!)


Ipiranga

Havia uma senhora em Ipiranga
Que gostava muito de comer manga
Manga de paletó
Ao molho de abricó
Refinada essa senhora de Ipiranga.

Jaçanã

Havia um compositor em Jaçanã
Que só chegava em casa de manhã
Perdia sempre o trem
E dormia com seu bem
Esperto, esse compositor de Jaçanã.

Carneirinho

Havia um menino pastor em Carneirinho
Que saía com seu rebanho bem cedinho.
Perguntava: o que é? O que é?
Que pula pra cima e faz bé?
E ria e cantava, o pastor de Carneirinho.
Resposta: cabra, carneiro, cabrito

Iturama

Havia um magro flautista em Iturama
Que preferia sempre dormir de pijama.
Magro demais, o flautista
Tinha pijama de só uma lista
para as noites geladas de Iturama

Limeira do Oeste

Havia em Limeira do Oeste um professor
cheio de advinhas. Um dia ele perguntou:
Altas torres, belos penachos,
Água em flor, flor nos cachos.
O que é, o que é? quis saber o professor.

Resposta: palmeira

União de Minas

Conheci um padre festerê em União de Minas
Que vivia numa moto pra baixo e pra cima
No mesmo dia em que morreu
Foi de Harley-Davidson pro céu
O que muito agradou o povo de União de Minas.


Santa Vitória

Havia uma menina faminta em Santa Vitória
Que entrou em uma dieta obrigatória:
Grelhou quinze bois,
Comeu todos com arroz,
Cumprindo a dieta comum de Santa Vitória.

Campina Verde

Havia um pizzaiolo em Campina Verde
Que já não aguentava tanta sede
Bebeu, sem demora,
Molho de gorgonzola
Saciando sua sede em Campina Verde.


São Francisco de Sales

Havia um senhora em São Francisco de Sales
Que queria se mudar para Buenos Aires
Perguntaram:dança tango?
Respondeu: só com calango,
O que arrancou risos em São Francisco de Sales.

Itapagipe

Havia um jardineiro em Itapagipe
Que ficou de cama por causa de gripe
Deu dois espirros
Nasceram dois lírios
Que perfumaram as ruas de Itapagipe.


Frutal

Existia uma alegre menina em Frutal
Que considerava a vida um carnaval
- Quanto é um mais um?
- Ziriguidum, ziriguidum!
Cantarolava esse menina de Frutal

Fronteira

Havia um ginete incrível em Fronteira
Que um dia despencou de uma pirambeira:
Ele ia para Pirajuba
A cavalo numa saúva
Ginete, incrível esse, de Fronteira.

Planura

Havia um prefeito na cidade de Planura
Que perguntava da sacada da Prefeitura:
Me digam: O que é? O que é?
Que anda deitado e dorme de pé?
Deixando intrigado o povo de Planura!
Resposta: pé

Pirajuba

Havia um menino em Pirajuba
Que enfiou um gato na tuba
O gato miou: MIAU!
E o público: UAU!
No centro da praça de Pirajuba.

Conceição do Alagoas

Uma menina em Conceição das Alagoas
conhecia bem umas poucas e boas
- Qual é o rato que sem asa
pula mais alto que uma casa?*
E ria-se essa menina de Conceição das Alagoas.

Resp. Qualquer rato porque casa não pula.

Água Comprida

Havia uma menina em Água Comprida
Que gostava de desfolhar margarida:
Eu me amo, tu me amo
Nós me amo, eu me amo
Essa egoísta menina de Água Comprida.

Uberaba

Havia uma menina em Uberaba
que comia chiclé com goiaba,
pudim de minhoca
e torta de muriçoca
na rua principal de Uberaba.

Delta

Havia uma senhorita em Delta
Que era esportiva e esbelta
Jogava basquete
Comendo omelete
Essa estranha senhorita de Delta.

Veríssimo

Havia uma menina higiênica em Veríssimo
Que todo mundo achava um estropício:
Ela só ia à feira
Dentro de banheira
Essa menina higiênnica de Veríssimo.

Campo Florido

Vivia uma menina em Campo Florido
Que tinha um nariz muito comprido:
Ia até Belo Horizonte
e bem no meio, uma ponte
Nariguda essa menina de Campo Florido.

Comendador Gomes

Havia uma velhinha em Comendador Gomes
chamada Flô e Ciça, além de outros nomes:
O que é que pula, pula
Sem tirar a mão da cintura?
Queria saber a velhinha de Comendador Gomes.
Resposta: pilão

Prata

Havia uma menina sabida no Prata
Que adorava brincar de sapata
Bem no meio do mar
Sem medo de se afogar
Corajosa, essa menina do Prata.

Ituiutaba

Existia uma inglesinha em Ituitaba
Que pra todo mundo perguntava
Do you tá bão?
Eu tô, ocê não?
Dando um ar bem londrino a Ituitaba.

Gurinhatã

Havia uma magricela em Gurinhatã
Que dormia sobre uma agulha de lã.
Ah, bem magrinha
se cobria com a linha,
esparramada, essa menina de Gurinhatã.

Ipiaçu

Havia uma menina muito dada em Ipiaçu
Que vez por outra conversava com um tatu.
´Cê vai onde, tatu bola?
Eu tô indo pra escola
O que deixava feliz essa menina de Ipiaçu.

Capinópolis

Existia um menino em Capinópolis
Que foi bater pênalti e exclamou: Ops,
Certeza que bola ia entrar,
Mas a goleira saiu do lugar
Envergonhando a torcida de Capinópolis.

Canápolis

Havia um menino esquisito em Canápolis
Que em vez de sapato dizia sapápolis
- Vou calçápolis o sapápolis
Com a ponta desse lápis,
Dizia ele, muito sério, em Canápolis.

Cachoeira Dourada

Havia uma balconista em Cachoeira Dourada
Que tinha a boca suja, bem mal educada
Se pediam: me dá um guaraná?
Respondia: vai tomar no....bar.
Assustando os fregueses de Cachoeira Dourada.

Monte Alegre de Minas

Existia um menino em Monte Alegre de Minas
Que um dia, mergulhou de roupa na piscina
Ele pediu: me tirem daqui!
Cantarolaram : larali, larali,
Para o aflito menino de Monte Alegre de Minas.

Centralina

Existia uma menina em Centralina
Cujo sonho era ser bailarina
Dançava com vassouras
Com nabos e cenouras,
Arrancando aplausos em Centralina.

Araporã

Havia um velho muito educado em Araporã
Que acordava bem disposto de manhã
ao canário dizia: "piu-piu!"
- Vai pra puta que pariu,
respondia o canário ao velhinho de Araporã.

Tupaciguara

Existia uma senhorita em Tupaciguara
Dada, mas sem nenhuma vergonha na cara
- O que é que o pinto faz
Quando a mão quero lavar?
Perguntava a senhorita de Tupaciguara.
Resposta: pia

Araguari

Existia um menino triste em Araguari
Que entrou no mato pra fazer xixi.
Nem bem pegou o pipiu
Uma onça fez nhac e sumiu,
Entristecendo esse menino de Araguari.

Uberlândia

Havia em Uberlândia uma menina
Que gostava de cuspir pra cima
O cuspe alto subia
E na sua cara caía
Deixando espantada essa menina


Indianápolis

Havia um gandula doêntico em Indianápolis
Que sentiu uma dor forte no nervo ciático
Decidiu, no plano ético,
Tomar um analgésico,
Esse gandula doêntico, de Indianápolis.

Conquista

Havia uma senhorita em Conquista
Que apesar de rude era benquista
Tirava meleca do nariz
E grudava nos lambris
Essa senhorita benquista de Conquista.

Cascalho Rico

Havia uma senhorita em Cascalho Rico
Que tentava passar todo mundo no bico:
Luis tem na frente; Miguel, atrás;
Solteiras, no meio; casadas, jamais.
Advinhem! desafiava a mulher de Cascalho Rico.
Resposta: a letra L

Araxá

Havia uma menina bondosa em Araxá
Que quis ensinar a galinha a falar
Disse: olha aqui, ó!
E a galinha: cocoricó!
Irritando a menina bondosa de Araxá