Poesia

Mapa de San Vito

Olho o mapa diante de mim,
        e meu coração palpita, ah, como palpita

nas veias e artérias azuladas
        que margeiam o fosso e a muralha.

E a cidade respira, ah  como respira,
        nos cafés, sacadas e ruas de outrora


Calle Storta, Beco Codamala, Sarpi,
        Antan, Amalteo de um passado nobre.

E no centro, a Piazza del Popolo
        com o seu garbo e vezo seiscentista,

res publica, aparas da história
        do campanário e da publica loggia.

Abro o mapa no meu olhar,
        dentro de mim já o sei de cor.

 

(foto:aqui)