Poemas Indígenas

Coiote Faminto

Em vão, nasci. Ayahue
Em vão deixei a casa de deus e vim à terra. Sou tão infeliz! Ohuaya, Ohuaya!
Queria nunca ter nascido, e que nunca tivesse vindo para a terra. É o que digo. Mas o que se há de fazer? Tenho de viver entre as pessoas? O que, então? Príncipes, me digam! Aya. Ohuaya, Ohuaya!
Tenho de permanecer na terra?

 

Coiote Faminto (NEZAHUALCOYOTL)
Rei de Texcoco (1431-72)

 

 

 

Canção da fuga

Em vão, nasci. Ayahue
Em vão deixei a casa de deus e vim à terra. Sou tão infeliz! Ohuaya, Ohuaya!
Queria nunca ter nascido, e que nunca tivesse vindo para a terra. É o que digo. Mas o que se há de fazer? Tenho de viver entre as pessoas? O que, então? Príncipes, me digam! Aya. Ohuaya, Ohuaya!
Tenho de permanecer na terra? Qual o meu destino? Sofre meu coração. Sou infeliz. Você dificilmente é meu amigo aqui na terra. Criador. Ohuaya, Ohuaya!
Como viver entre as pessoas? Ele, que ergue e sustenta os homens, é imprudente? Vai, amigo, vive em paz, passe a vida tranqüila! Enquanto tenho de viver encurvado, de cabeça baixa, entre as pessoas. Ohuaya! Ohuaya!
Por isso eu choro- Yeehuya! – na solidão, abandonado entre os homens na terra. Como fazer decidir seu coração – Yeehuya! – Criador? Sua raiva se desfaz, brotando compaixão! Aya! Estou ao seu lado, Deus. Já planeja minha morte? Ohuya! Ohuya!
É verdade que sentimos prazer, nós, que vivemos na terra? Certo que vivemos para ter alegrias na terra? Mas também vivemos no sofrimento. A amargura e a angústia são o destino dos povos da terra? Ohuya! Ohuya!
Não fique agustiado, coração! Não desanime. Em busca da verdade é difícil conseguir compaixão na terra. Na verdade,você aumenta o amargor perto de ti, ao seu lado. Oh, Criador. Yyao yyahue auhuayye oo huiya.
Apenas procuro, recordo meus amigos. Talvez venham uma vez mais, retornando à terra? Ou logo que perecemos, tudo acaba? Se ao menos nossos corações deixassem de sofrer! Perto de ti, ao teu lado, Criador. Yyao yyahue auhuayye oo huiya.



In chololiztli cuicatl

O nen notlacatli. Ayahue!

O nen nonquizaco teotl ichan in tlalticpac. Ninotolinia. Ohuaya ohuaya!
In ma on nel nonquiz in ma on nel nontlacat ah niquitohua yece. Yeehuaya! Tlen naiz anonohuaco tepilhuan? At teixco ninemi? Quen huel xon mimati. Aya Ohuaya ohuaya!

Ye ya nonehuaz in tlalticpac? Ye ya tie in nolhuil? Zan nitoliniya tonehua noyollo tinocniuh in ayaxcan in tlalticpac ye nican. Ohuaya ohuaya.

Quen in nemohua—Aya!—in tenahuac? Mach ilihuiztia nemia tehuic teyaconi. Aya! Nemi zan ihuiyan zan icemelia. In zan nonopechteca zan nitolotinemi a in tenahuac. Ohuaya ohuaya.

Zan ye ica nichoca—Yeehuaya!—nicnotlamati no nicnocahualoc in tenahuac tlalticpac. Quen quinequi noyollo—Yeehuaya!—ipal nemohuani? Ma oc melel on quiza a icnopillotl. Huiya! Ma oc timalihui—Aya!—monahuac titeotl. At ya nech mikitlani? Ohuaya ohuaya.

Azomo ye nelli tipaqui ti ya nemi tlalticpac? Ah ca za tinemi ihuan ti hual paqui in tlalticpac. Ah ca mochi ihui titotolinia. Ah ca no chichic teopouhqui tenahuac ye nican. Ohuaya ohuaya.

Ma xi icnotlamati noyollo. Yeehuaya! Maca oc tle xic yococa. Yeehuaya! Ye nelli in ayaxcan nicnopiltihua in tlalticpac. Ye nelli cococ ye otimalihuico in motloc monahuac in ipal nemohua. Yyao yyahue ahuayye oo Huiya.

Zan niquintemohua—Aya!—niquilnamiqui in tocnihuan. Cuix oc ceppa huitze in cuix oc nemiquihui? Zan cen ti ya polihuia zan cen ye nican in tlalticpac. Maca cocoya inyollo itloc inahuac in ipal nemohua. Yyao yyahue ahuayye oo Huiya.


________________________________________
Romances de los Señores #36 (21r-22v)
(Escrito quando estava fugindo do rei de Azcapotzlco,talvez durante a primeira fuga em 1418, aos 16 anos, ou durante a segunda fuga, em 1426, quando tinha 24. É o poema mais antigo de que se tem notícia.